Irmãos
0 de 5
Créditos
» Skin obtenido de Captain Knows Best creado por Neeve, gracias a los aportes y tutoriales de Hardrock, Glintz y Asistencia Foroactivo.
» Todo o conteúdo publicado pertence exclusivamente à administração do Yellow Lights RPG.
Parceiros
2 de 55
Afiliados del Foro
Afiliados hermanos 0/5
Directorios y Recursos
Afiliados Elite 0/44

Grupo 2 _ A Lie

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Grupo 2 _ A Lie

Mensagem por Talent Hunter em Qua 2 Ago 2017 - 21:23

Next.G

Primeiro Episódio

Tópico designado ao treino do grupo 2, que será julgado por um ou mais dos jurados do programa como auxílio. Esta não é a apresentação final. Apenas um post por pessoa é necessário.

O treino está liberado até dia 17/09/2017.

Distribuição




Alice - Doom - Byung Ha - Daesung - Nana

I say 다시 말하지만
우리의 인연은 여기까진 것 같아

You say 좋은 사람 꼭 만나
우리의 사랑은 생각보다 얕았나 보다


이렇게 우린 갈라져
틈이 갈라져
너를 등지고 돌아서는
내 모습은 초라하겠죠


내가 했던 말은 거짓말이야
떠나가란 말 다 거짓말이야 a lie a lie

내가 했던 말은 거짓말이야
제발 가지마 다 거짓말이야 a lie
모두 거짓말이기에


상처뿐인 말만 늘어놓고 뒤 돌아가
내일이면 다시 아무렇지 않게 살아가겠지만
너와 내 사이 운명
쉽게 끊을 수는 없다면
다시 돌아갈 수 있을까 예전의 모습처럼
환하게 웃던 미소가 눈물이 되어 흐르고 (Oh~)
같이 부르던 이 노래가 내 맘을 적시고
점처럼 작아져 가는 그대
뒷모습 바라볼 때면
비가 내리며 나를 위로 해주네
슬픈 그대여


이렇게 우린 갈라져
틈이 갈라져
너를 등지고 돌아서는
내 모습은 초라하겠죠


내가 했던 말은 거짓말이야
떠나가란 말 다 거짓말이야 a lie a lie
(~Oh)
내가 했던 말은 거짓말이야
제발 가지마 다 거짓말이야 a lie
모두 거짓말이기에


어둠 속에 묻혀있던 너의 미소
매일 암흑 속에 갇혀 있던 너란 햇빛

이젠 보내줄게 밝은 햇살 속에
네가 살고 있었다는 걸
(Eh)

언제나 힘없이 처져 있던 너의 그림자
항상 입술을 깨물며
고독하게 너는 혼자

고통을 참으며
눈물 삼키며
하루하루를 넌 괴롭게 보내잖아


내가 했던 말은 거짓말이야
제발 가지마 다 거짓말이야 a lie a lie (Ah~)

나를 떠나가 행복해
제발 더 행복해 (Uh~) (Oh~)

나를 떠나가 행복해
제발 더 행복해

I say 다시 말하지만


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grupo 2 _ A Lie

Mensagem por Oh Yu Ji em Sex 8 Set 2017 - 22:31



gone forever.
I tell myself that I don't miss you at all.






First time you screamed at me I should have made you leave I should have known it could be so much better I hope you're missing me I hope I've made you see That I'm gone forever.

Estar no rank A não era nada além do esperado, apenas me impressionava o fato de alguém como eu, que nem ao menos desejava estar nesse lugar, consegue se sair melhor que esses estúpidos que tem isso como um sonho. Bem, o que posso fazer se talento é algo natural? Já que entrei em algo assim, minha obrigação é ganhar. A Lie... A música na verdade é muito boa e se adequa perfeitamente a minha voz.

Decidir quem faria o que era trabalhoso e entediante, eu e Doom estamos próximos no quesito vocal, embora quando se trate de beleza e carisma nenhum possa se comparar a mim. As partes de vocalista principal pareciam se encaixar mais em uma voz mais grave, o que claramente não era minha. Além disso, A área de destaque de Doom além do vocal era o rap, assim ficariam dois rappers para uma parte, então o coloquei como vocalista principal. Obviamente, eu vinha logo após, como vocalista líder.

As outras partes eram mais claras, Daesung era o terceiro melhor vocal, embora Nana não estivesse muito atrás, então o coloquei como vocalista de apoio. Por fim, Byung Ha é uma rapper e Nana tem um vocal mediano, mas uma beleza e carisma que se adequariam bem ao centro, claro que nem tanto quanto eu, mas já me destaco sem precisar disso.  

Reuni a distribuição de linhas e a coloquei numa folha, logo tirando cópias e entregando para meus colegas de grupo. No início do ensaio, tive que iniciar a falatório chata devido ser líder. Embora eu odeie ter responsabilidades, escolhi esse papel para não ter nenhum palhaço mandando em mim.  

-O ensaio de hoje é muito importante e espero que levem a sério, vamos praticar até o segundo refrão repetidas vezes até que estejam excelentes. Sim, ouviram certo, excelentes, porque uma apresentação boa é o que até estudantes fazem naqueles estúpidos festivais escolares. -Disse com uma voz autoritária, como sempre. Meu olhar sobre eles era de total frieza. -Doom, você guiara o vocal, se alguém apresentar dificuldades no treino, você deverá se reunir pessoalmente com essa pessoa e ajudá-la. Mesma coisa quando a dança para você, Byung Ha. -Já me levantava para começar quando lembrei. -Ah, e mais uma coisa: tratem esse treino como se fosse sua apresentação oficial, erros não serão perdoados.

I say 다시 말하지만
우리의 인연은 여기까진 것 같아


Começo segurando firme no microfone e caminhando com passos curtos e lentos a frente. Minha voz tem um tom melancólico sobre ela, como se realmente enfrentasse um término. Por ter uma voz aveludada, as notas saiam de forma que era confortável aos espectadores, e meu alto controle vocal também contribuía para causar essa sensação boa em quem estivesse ouvindo.  

Após isso os outros, menos Daesung, foram para trás de mim. Primeiro fiz uma pose me curvando levemente para a direita enquanto colocava minha mão direita um pouco abaixo do meu ombro. Tudo era lento e pouco trabalhoso, para uma dançarina treinada como eu, era como 2+2, ainda assim não deixava de me esforçar para os movimentos saírem limpos e coordenados. Depois, eles saiam de trás em fileira.

Me curvo para frente e então estico sutilmente minha perna esquerda, depois me virando para o mesmo lado e dando um pequeno passo. O ritmo era realmente muito lento, o que nos dava certa vantagem por nossas vozes saírem estáveis mais facilmente. Vou para as laterais quando chega a parte da Nana, depois dando um giro e assim se inicia o refrão.

내가 했던 말은 거짓말이야
떠나가란 말 다 거짓말이야 a lie a lie


Volto ao centro do palco iniciando o canto novamente, já que era minha parte. Meu dedo indicador se posiciona sobre minha boca, depois eu levando minha mão a frente. Dou um passo à frente e curvo meu corpo para o lado direito, depois voltando a ficar com a postura ereta. Minhas mãos fazem alguns movimentos curtos, leves e devagar, minha habilidade com dança apenas servia para criar linhas mais bonitas e leves, já que a coreografia não exigia muito. Eu me expressava através da música com certa simplicidade, já que a emoção da música era aquela, embora a letra pudesse parecer triste, ainda estava mais puxada para um lado de declaração.

Inicia-se a outra parte do refrão com a voz de Doom. O movimento do dedo indicador se repete, mas agora damos um passo a direita e literalmente nos curvamos. O rap se inicia e fico parada por um momento, até o início da sequência mais difícil da música. Movimento as mãos e as pernas, dando até um pequeno pulo. Todos se reúnem ao redor de Byung Ha e fazemos um movimento quase em câmera lenta. Depois me movo até a esquerda da sala.  

Volto sorrateiramente para a direita, e inicio uma sequência de passos que imitam uma caminhada, mas no mesmo lugar. Giro e novamente chego ao refrão.  

내가 했던 말은 거짓말이야
떠나가란 말 다 거짓말이야 a lie a lie


Repito os movimentos do primeiro refrão. Minha voz tem uma entonação levada para o emocional, absorvendo a essência da música. No final, me permito dar um singelo sorriso, embora eu não goste de sorrir, fazer a falsa para conquistar público é algo que eu faço.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grupo 2 _ A Lie

Mensagem por Ji Dae Sung em Ter 12 Set 2017 - 22:05

A Lie
Sim, virei treinee só para poder ver mais minha namorada, não fazia ideia que seria escalado para um programa de variedades, eu, um mero estudante de direito, ex-atleta, jogador de basebol forçado a se aposentar, eu, o garoto mais preguiçoso do mundo da noona dele, ali, ouvindo aquela moça delegando nossas posições, faço uma continência quando ela termina ditadoramente sua liderança, essa ai ao menos ta determinada a vencer, meu pouco tempo de treino pode acabar passar desapercebido, sorte que sempre gostei de cantar e o esporte me fez ter um belo corpo, além da lábia da advocacia, vejo todos se levantarem, me levanto depois de terminar de decorar minhas linhas, era uma música que todo homem apaixonado ou que está sofrendo de dor de cotovelo gosta, até ouso dizer, tem como hino em momentos tristes.

Ficamos todos em nossas posições fico parado fitando saudoso a imagem mental de Wei Ming, segurando meu microfone enquanto ouvia Alice começar sua parte, atento para me mover no momento correto, dando um giro andando onde estava antes e longo andando para o lado oposto onde estava inicialmente posicionado, deixando a voz mais doce, romântica e melancólica, andando menos apressado enquanto cantava.

-You say 좋은 사람 꼭 만나
우리의 사랑은 생각보다 얕았나 보다


Enquanto cantava, os outros executavam a coreografia, coloco a mão no meu peito enquanto canto, caminhando em direção a frente, onde ficaria exposto aos jurados durante a apresentação, dando aquele olhar de cão sem dono, sorte minha ser mestre da lábia, ao menos ter sido playboy antes de começar a namorar minha noona deu para algo. Paro no cento, abaixando dramaticamente minha mão, fechando os olhos momentaneamente enquanto terminava minha linha.

Saio com certa elegância seguindo o ritmo da batida que acelerava, retornando para o lado que caminhei no começo da música, seguindo mais um membro do grupo, ficando na ponta, dou um giro rápido e me abaixo de joelhos em direção ao centro, então logo me levanto ao som das batidas, mantendo uma expressão de leve dor e tristeza. Logo mudando para aquela sedutora e triste, pois a coreografia pedia, os falsos andares, a dança pélvica, mesmo triste,
tinha de ser sensual mas sem ser apelativo. Minha mão livre do microfone variava da minha bochecha e meus lábios,
como se pedisse silêncio, depois um pé para o lado, a mão para o mesmo, leve agachamento, um "x" com os braços,
mão no joelho, sempre movimento com suavidade os pés.

As Mão paralelas ao corpo descem por ele, o que me faz olhar intenso para frente, enquanto faço uma leve wave enquanto realizo mais um passo, começo a girar meu corpo e seguro onde ficaria um sinto ou algo do tipo,girando meu corpo levemente para o lado do centro da coreografia, pois eu era o center, porém meu momento killer ainda não chegou.

A mão sobe e depois corta rápida por perto do meu pescoço, com o olhar intenso e de sofrimento, continuo a dança,
abaixando a mão do microfone depois de um leve movimento me movimento para me unir aos outros. Então formando uma posição em "V" correta, é tão bom ter assistido os treinos do Sonne com Ming, podia ser um pintinho,
mas não era burro, isto eu não era. Passo a mão em meu rosto com a mão livre novamente, dando passos leves para frente, depois cutuco a bochecha como se pedisse um beijo nela, porém o dedo em meus lábios eram o selar simbólico que não podíamos. Enquanto fazia isto a mão com o microfone ficava para atrás. Como movimentos om mãos rápidos, logo começamos a parte mais difícil o falso slowmotion. Parado, olhando para baixo, ouvindo os passos do nosso rapper passar por detrás, mantenho aquela expressão dramática e de garoto apaixonado em sofrimento, como amo os nomes que Wei me dá quando uso alguma do tipo, facilita o papel.

Caminho para trás e dou um leve giro, fazendo movimentos com as mãos, assim como que estava ao meu lado, movimentos rápidos que me davam um momento para dar um carão enquanto apoio meu rosto na mão livre, olhando onde haveria uma câmera, como centro, tenho que chamar as câmeras para mim, tenho de chamar atenção mesmo não sendo minha parte, minha meta era ser o scene stealer, conquistar o coração e provar a Ming que estava sério,
pois se tudo desse certo, trancaria minha advocacia por uns anos.

No fundo, nos unimos para dar aquele tcham no rap e na coreografia dele, levantando sem pressa a mão livre, seria feio usar a do microfone. Desce, sobe, vira para o lado direito, lentamente, erguendo a mão do microfone dramaticamente, vendo Ming em minha ilusão mental, como se fosse me deixar caso fracassasse, o que poderia acontecer, recrutar o namorado dela é um tremendo risco, logo paro a mão no ar, a descendo e virando, o rap era muito bom e me deixava mais na vibe por conta da letra, queria aprender a cantar rap, mesmo não os escrevendo,
seria algo bem interessante, mas Doom por conta da minha falta de rap estava assumindo vários linhas, muitos achariam que ele era o centro, não eu, junto minhas mãos em súplica, olhando para frente, com aquele olhar, meus olhos já ajudavam ou par ser fofo ou para simular sofrimento, estava quase atrás dele, só que para a direita. faço o movimento umas duas vezes e solto as mãos dando um passo para trás. pondo a mão onde deveria ter um cinto na calça que vestia, dando aquelas waves e logo meus braços mexiam com mais velocidade que antes, treinar com eles me dava mais energia, parecia que treinava com eles por dias seguidos, caminho para a direita, ficando novamente mais isolado, tocando a ponta dos meus dedos com muito drama nas pontas das sobrancelhas e num movimento meio moderado, as deixando na altura das têmporas, abaixando as mãos e voltando a andar para a direita, em diagonal para frente, em passos determinados mesmo que com semblante triste, quando um homem sofre, ele sofre mas mostra que é forte, paro, dou um passo mais lento para a esquerda começo a andar lentamente em direção ao nosso atual vocalista, seguro novamente onde deveria te rum sinto, mas só o elástico do moletom de prática, giro,
abaixo e mostro minhas longas costas para trás, levanto e fico ereto, com uma perna levemente dobrada, giro 360º,
sem sair do lugar.

Olho para frente, enquanto andava para o lado, minha feição parecia de quem sofria em silêncio para não chorar,
momento da wave provocativa, mesma coreografia se repetindo, mas servia várias expressões de sofrimento, anos de chantagem emocional, além de lembrar dores de saudade e físicas, isto ajudou e muito. A coreografia do refrão agora estava mais simples, nada que praticar, além do mais, se eu praticar ainda mais é bem possível que acabe me tornando um idol no lugar de um advogado.

Caminhando para o fundo começo a cantar minha parte com um tom mais grave, com determinação mas aquela sofrência precisa, mas não tão latente, pois quando sofremos, fingimos ser fortes também, como uma mentira.

-언제나 힘없이 처져 있던 너의 그림자
항상 입술을 깨물며
고독하게 너는 혼자


Em um momento estava lá atrás, fui ao centro, o cedi para o próximo a cantar, mas me mantendo perto, sem perder a expressão, a pose e de servir dor de cotovelo e te quero de volta. Acabo me empolgando na onda de sofrimento, pois era exatamente o que vivia antes de me tornar treinee e ainda vivo, mas minha voz ecoava ainda pela sala, doce novamente, com aquela dor, estava no lugar certo, Alice merecia o rank, além de ter feito sábias escolhas, a killer scene era o fim, onde já se aproximava, preparando minha melhor expressão de tristeza, me adota e volta pra mim tudo junto, vejo todos desaparecerem e a coreografia ficar lenta, escuto cada palavra, caminhando bem lento em direção a minha posição, a frase de efeito mais e que deixaria mais marcado nos jurados e público, era de quem?
Minha, claro amor, esse rosto bonito, carisma, lábia de advogado e pretendente ator futuramente, nunca se sabe,
era meu momento e estava vivendo por ele, amava músicas de sofrimento, pois a minha vida já era um drama puro.

-나를 떠나가 행복해
제발 더 행복해

I say 다시 말하지만

As palavras começam a sair lentamente, bem ditas, com aquele olhar de dor pura e que não quer perder a noona Wei, sinto a sofrência e a súplica melancólica saírem, escuto a música acabar e abro um largo sorriso olhando para trás, para os demais, visto que estava no centro finalmente.

-Essa música é meu hino pessoal, espero poder melhorar ainda mais e fazer jus a posição dada, fighting!
avatar
Trainee
Idade :
22

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grupo 2 _ A Lie

Mensagem por Yoo Seung Eun em Qui 14 Set 2017 - 16:06

I was made up of a multitude of selves, of fragments.

Digamos que já esperava que algo desse tipo, acontecesse comigo.

Muito depois de adentrar na Cherry Blossom, minha vida tem mudado de roteiro diversas vezes. Para ser mais realista, tive que aprender a finalmente improvisar em alguns gestos e falas mais que poderia imaginar. Na vida, quando se está posicionado como um underground, você não possuí outras regras a não ser fazer sucesso entre os desconhecidos. Por exemplo, jamais me ocorreu de tirar uma foto ou fazer um cartaz especial para programas. Bastava apenas ater-me a ter uma conta no soundcloud ou outro tipo de aplicativo de música, lançá-las e a magia estava sendo feita a partir daqui. Hoje no entanto, nada disso ocorre mais com a frequência de antes. 

Meu Instagram até o começo deste ano o qual ingressei como trainee, não era muito popular. Confesso que até mesmo de mim, não gostava de usá-lo. Mal sou afeiçoado a fotografias mesmo. Porém tudo novamente vira de ponta cabeça quando nesta mesma manhã, ao meu preparatório do primeiro treino, logo em minha conta pessoal e me deparo com comentários de ódio. Não poderia apenas contar ou até mesmo excluí-los. 

Levariam horas até limpar tudo; Fotos com antigos amigos de Hongdae estão bombardeadas delas. Palavrões, outros de descontentamento e mais alguns que referiam-se a drástica decisão que tomei. Tudo isso, deixou com que ficasse imóvel diante da porta da primeira sala. Ler tudo aquilo ou despertava um choque real ou as consequências que tanto me alertavam. Respirei fundo, medi tudo que havia agora tido ciência e ponderei meu humor. Seria óbvio que não conseguiria deixar de demonstrar estar incomodado com isso. Um deles não se referia a minha música como rapper, antigamente das ruas, mas a minha pessoa. Todo este julgamento não dizia respeito mais a DOOM. Tudo agora era responsabilidade de apenas Yoo Seung Eun. Eu gostava quando você era mais justo com a sua música. Não se metia em lugares errados. Isso ferve o meu sangue. 

Empurrando a maçaneta, logo me deparo com o grupo. Não adiantaria fazer esforço ocular, todos obviamente eram mais jovens que eu. Novamente intercalei minha reverência com mais uma longa respiração e me demantive próximo da ao que me entendia ser, a liderante do grupo e mais uma moça que correspondia ser responsável pela dança. Abracei o microfone com uma das mãos e escutei o conselho proferido. Anui e novamente me flagrando novamente, a encarar os outros rostos. Tão jovens, e desta forma carregando grandes responsabilidade. Não sei se ao certo se achava isso admirador ou então de certa forma, receoso ao pensar em seus futuros dali para frente. Desde que não tomassem o mesmo destino que acabei contornando, aprofundado em dívidas, todos possuiriam brilhantes caminhos.

As minhas mais otimistas formas de pensar, novamente à tona. 

Alice dava início ao cântico e eu, me atentei a ficar ao fundo somente me movendo quando a escala de pessoas se dispersaram pela lateral dando um leve inclinamento ao corpo como pedido na coreografia original da música. Naquele momento já agradeceria por não ter de me exibir na dança. Com certeza seria o primeiro a ter de parar Byung Ha no corredor para aprender a ter o mínimo de coordenação motora essencial para executar uma performance completa. Engraçado, quando mais novo nunca precisei me importar com isso. Detive a simular uma caminhada, lenta e a parar somente no ritmo ditado pelo segundo cantor trocando a posição em uma agitação baixa de minhas mãos a frente do quadril. Abrimos espaço para os lados na aparição do terceiro ficando incumbido de mover levemente o dedo indicador testando o arranjo da música — que apesar de também vocal, era novo para a minha pessoa até retomamos a posição lateral e congruente ao central do momento. 

Trocamos uma transgressão de movimentos executados paralelamente por nossas colunas dobradas — para que lançássemos nossas mãos para próximo do piso e a recolhêssemos conjuntamente com o nosso corpo completo e ficássemos eretos com a frase que logo me encaixaria ao entremeio da música. Neste segundo, entrecortei meu pé a frente, numa posição iniciando mantendo a minha mão na altura do quadril com os dedos imóveis. Seria um erro movê-la. Não era rap :

내가 했던 말은 거짓말이야
제발 가지마 다 거짓말이야 a lie
모두 거짓말이기에
 

Na pronúncia da minha segunda frase a terceira, dobrei a coluna levemente para o lado esquerdo junto aos demais e me levantei aproximando o globo metálico do microfone aos meus beiços olhando para frente. No reflexo de Byung Ha, fiquei parado com os demais com a ponta de um dos pés chamativamente impregnados ao piso. Me pensar estar naquela posição, fez um nódulo se instalar na garganta de vergonha. 

Nos encontramos com Byung ao formarmos uma roda repousando cada qual, uma única mão ao seu corpo, afastando novamente ao que se presumia ter de tocá-la novamente. De intermédio, nos movia-mos com mais responsabilidade ao entorno dela, braços intercalando uma dança mais travada a trato de pausas que se ausentavam ao decorrer da letra. Aquilo provavelmente deveria soar como algum impacto não referindo-se respectivamente a quem somente cantava, mas ao conjunto todo. Este tipo de experiência em grupo tive somente uma vez e quando fui universitário. Solicitado, coloquei a minha voz presente em um rápido ”Oh!” enfático. 

Como no original, prestes a minha aparição todos nós repetimos a mesma cadência de movimentos, desta vez no entanto, me locomovi do fundo para frente esquivando rapidamente dentre os corpos determinando um intervalo respeitoso entre minhas pernas posicionando meu palmo canhoto a frente do peito revezando um movimento de rosto particularmente semelhante a uma negação :

내가 했던 말은 거짓말이야
제발 가지마 다 거짓말이야 a lie
모두 거짓말이기에

Nos desfizemos do centro mais uma vez somente retornando quando movemos nossos próprios corpos embasados com a resistência dos tornozelos, jogando pequenas parcelas dos braços para cada lado marcando o compasso com o timbre da voz de Nana. Após a última atuação de Daesung, que simpaticamente havia ficado a nossa frente, repeti pela terceira e também igualmente última, minha entrada aproveitando que todos estavam ainda mais próximos da minha presença articulando leves passos para frente com o microfone posicionado ao lado destro de minha face elevando um dos punhos fechados no processo aferindo meu esforço vocal e também, alongando a última nota até que minhas próprias cordas vocais vibrassem pelo tempo exaurido  :

고통을 참으며
눈물 삼키며
하루하루를 넌 괴롭게 보내잖아

Prosseguindo, agora apenas precisei dançar; Troquei o microfone de mão, tratando de lançar a nova mão livre para o lado que todos haviam novamente reclinado e suportei o peso das pernas acima dos meus pés, pesando com a sola do tênis o máximo que seria possível para ficar parado e manter o equilíbrio. Neste meio termo, me limitei a me mover para um único lado trazendo os dedos para frente de meu nariz, locomovendo o maxilar no acompanhamento até o último passo que exigia todos nós parados formando uma espécie de triângulo — outra semelhança bastante peculiar seria compararmos com o voo dos pássaros no céu — interpondo uma das mãos a frente da minha virilha, caída, libertando os ombros para trás com os pés que se afastavam dos avanços. Com um lance da perna para o lado direito, damos um giro de exatos trezentos e sessenta graus parando com os peitos na direção imaginária do público encerrando com o último trecho por fim solenemente ressoado da boca de Daesung.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Grupo 2 _ A Lie

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum